Luiz Ceara

Arquivo : abril 2013

A hora é de saber quem tem garrafa vazia pra vender
Comentários 52

Luiz Ceará

O São Paulo entrou em campo derrotado. Ninguém que eu conheço, nem mesmo os são paulinos acreditavam numa vitória diante do poderoso senhor 100% de Minas Gerais, o melhor time da Libertadores com louvor.

Na bola a coisa é diferente sempre.

Paulo Machado de Carvalho, o Marechal da Vitória me disse uma vez numa conversa antes da entrevista que apareceu no vestiário da seleção na Suécia com a imagem de Nossa Senhora Aparecida e as camisas azuis em vez das amarelas. Era a final da Copa do Mundo. Disse aos jogadores que entrariam em campo de azul porque ele havia sonhado com  Santa, e que ela havia dito que era para a seleção jogar de azul. Era mentira, mas os jogadores acreditaram e o resultado você conhece.

Na bola a coisa é diferente sempre.

Não sei o que foi dito no vestiário do São Paulo, mas o resultado você conhece.

O Tricolor tem três títulos da Libertadores e três do Mundo. Tem que respeitar. Vai ter um jogo no Morumbi na próxima fase contra o mesmo Atlético Mineiro. O outro jogo, o da volta, será no matadouro do Galo, o Independência. Agora eu fico com a frase do meu mestre preferido, Juarez Soares.”É a hora de saber quem tem garrafa vazia pra vender”.


Uma farsa em Santa Cruz de La Sierra.
Comentários 61

Luiz Ceará

Não, eu não deixei o espaço do Blog pra trás. Não vou parar de escrever. Só estava descansando um pouco e me dedicando à RedeTV com o novo programa que começa dia 18 deste mês e aos comentários nos jogos do UOL Vivo, que desde já afirmo que me dá muito prazer fazer. Hoje comento Botafogo e São Paulo. Eu explico por que amigos e pessoas que eu encontro nas ruas me cobram o espaço do Blog. Tá explicado.

Vamos à seleção brasileira no dia de ontem. Uma farsa. O jogo foi um chocolate e poderia ter sito maior caso jogado a sério e num campo de futebol, não num pasto mal tratado. Grama pouca, terra e buracos à vontade. E a seleção da Bolívia? Na altitude de La Paz ou Oruro, onde não há ar suficiente para todos, leões indomáveis. No nível correto, time ruim de bola, adversário desproporcional. Não vale treinar contra um timeco porque pouco se pode tirar de proveito. Na questão política que envolveu o amistoso, só palhaçada de lá e de cá. Pra variar. E a grana da família do Kevin neste momento está no bolso do presidente da Federação Boliviana de Futebol. Cara deslavada ele disse que …vai ver.

As Arenas da Copa estão sendo entregues. Com preços acima do que foi combinado, com imensas quantias do nosso dinheiro e com as obras dos entornos incompletas.

Hoje Tostão, que é ex-jogador de futebol de uma época de ouro e que comenta sobre esporte com a mesma classe com que tocava na bola, diz na Folha de S. Paulo que: “Quando a bola rolar na Copa do Mundo, haverá um grande número de possibilidades e de sentimentos contraditórios, racionais, emocionais, nacionalistas, ufanistas, de revoltas e de protestos. Não dá pra prever o que vai acontecer”.

É isso e mais. Gente esperta se dando bem e a maioria esperando a vez. Como sempre nesse país cada vez mais injusto onde o deputado Marco Feliciano afronta o país com suas “novas” idéias de homofobia e racismo explícitos e seus comparsas assinam embaixo,


< Anterior | Voltar à página inicial | Próximo>