Luiz Ceara

Arquivo : janeiro 2013

O Palmeiras não para de cometer erros. A saída de Assunção vai ser dolorida lá na frente
Comentários 36

Luiz Ceará

Os bastidores do futebol, normalmente sombrios muitas vezes chega a dar nojo. O episódio da dispensa de Marcos Assunção e da chegada de Valdívia ao Palmeiras é um exemplo claro disso.

Marcos Assunção chegou no dia marcado para a apresentação, não conseguiu a renovação de seu contrato profissional por questões financeiras e não joga mais pelo clube. Para quem vai pagar salários de mais de 500 mil para Valdívia e pelo que já se pagou para El Mago, trata-se de uma vergonha. Um disparate, uma falta de habilidade e de visão do que pode ou vai acontecer com esse time.

Vamos lá:o Verdão vai disputar o Paulista, a Libertadores, a Copa do Brasil e o Brasileiro da série B.

E não vai precisar da bola parada do Assunção? A experiência do melhor batedor de faltas do futebol brasileiro hoje? Do caráter e liderança de um homem sério? De um profissional que honra a camisa e que jogou machucado todo um final de campeonato Brasileiro?Por causa de 50, 100 mil reais que seja?

Ele vale quanto pesa.

Do outro lado, o clube que não tem ainda um time para o Paulista quanto mais para uma Libertadores faz vista grossa para um jogador que nada produziu ano passado senão barulho e confusão. Sempre de chinelos desfilando pelo clube a caminho do DM, sempre dando desculpas. Respeito Valdívia, e já conversei isso pessoalmente com ele através de um amigo em comum, Gustavinho que é o melhor produtor de TV do país. Ele precisa virar homem e não dizer que é. Precisa ser profissional e não parecer quatro dias depois da data marcada para iniciar seu trabalho, cheio de papéis de exames e gráficos. Isso é ridículo.

Como também é ridícula a atuação da diretoria do Palmeiras através do seu presidente e do meu querido Cesar Sampaio, que me desculpe, mas que está pisando na marmelada.

Existe uma saída honrosa para esta palhaçada. Só uma. Valdívia em campo jogando o que sabe, não o que ele acha que sabe.

E se tudo correr como é esperado e está sendo acertado, Marcos Assunção joga ano que vem pelo Santos. Bem feito.

Tags : Palmeiras


Valdívia, o difícil retorno de quem deve muito ao torcedor do Palmeiras.
Comentários 14

Luiz Ceará

Não sei neste momento se Valdívia voltou ao Palmeiras. O retorno estava marcado para esta manhã.

Voltar é uma coisa, começar a treinar é outra e entrar em forma e jogar então nem se fala.

O caminho é longo, passa por reuniões e multa.

Se a diretoria tiver peito, ele deve ser multado e enquadrado. Se ele não quiser jogar no Palmeiras, se não tiver, ou melhor, se continuar sem o mínimo de comprometimento, é melhor ir embora.

Do contrário será apenas mais um problema.

Fico triste, não indignado, triste mesmo de ver o Palmeiras com uma administração tão sem pulso. Em outro time qualquer Valdívia já estaria longe. Hoje, até este momento, ele é apenas moeda de troca e apelido do ponta esquerda do time de Juniores do Internacional de Porto Alegre. Nada mais.

Tags : Valdívia


Wanderson o novo Valdivia, e seu sonho de ser grande
Comentários 1

Luiz Ceará

Wanderson Ferreira de Oliveira tem 18 anos nasceu em Jaciara em Mato Grosso e tem 1m77cm. `

É um menino sorridente e tinha um sonho. Jogar futebol. Canhoto, ele começou a delinear seu futuro na bola em Jaciara mesmo. E no ano passado veio jogar na Copa São Paulo de Juniores pelo Rondonópolis time que causou impacto por ser pequeno, guerreiro e de meninos bons de bola. Diferente.

Foi visto e acabou em Porto Alegre, no Internacional.

Hoje eu fui trabalhar na transmissão de Inter e Paulista de Jundiaí pela Copa São Paulo 2013 para a Rede TV onde trabalho, além daqui. A Copa São Paulo já revelou centenas de jogadores para o futebol. Ela vai revelar mais um. Wanderson.

No Inter ele ganhou o apelido de Vandívia. É canhoto e habilidoso. Deu trabalho, fez dois gols e eu falei com ele ao final do jogo, destaque que foi do poderoso Inter, 4 vezes Campeão da Copa.

“Nosso sonho maior quando somos pequenos pelo interior do Brasil é jogar a Copa São Paulo. Aparecer para o mundo da bola. Só de vir até aqui compensa. Pra mim deu certo”, foi o que ele me disse.

Vai ser um grande jogador? Vai ser craque? Vai jogar na Europa num grande clube?

Isso não importa. Futebol também é sonho que na maioria das vezes não se realiza, mas que em outras dá certo.

E tem gente que é contra a Copinha. Me ajuda aí, como diria meu parceiro Datenão.

Tags : Valdívia


Racismo é uma doença do mundo, do ser humano
Comentários 4

Luiz Ceará

Eu estava sentado à mesa de jantar na casa de um amigo italiano logo depois que a Copa do Mundo de 90 tinha acabado. Fiz amizade com essa pessoa durante a Copa. Ajudou-me muito. Eu era grato e fui até a casa dele com amor no coração.

Em certo momento ele me chamou de irmão, se referiu a mim como se fosse a um irmão. O pai dele ficou vermelho. Ele era um italiano do norte, de Turin, um homem de olhos azuis e um sorriso largo. Ele olhou para o filho e disparou sem mais nem menos: “Você não pode ser irmão dele porque ele é negro”.

Sou descendente de escravo africano juntado com uma italiana de cabelos avermelhados. O filho deles, meu avô Luiz Ceará era mulato e se casou com uma alemã legítima, minha avó Rosária. Evidentemente sou moreno e meu cabelo, quando eu ainda o tinha, era encaracolado, quase pixaim, cabelo ruim mesmo, “de nêgo”.

O episódio, é claro, me deixou muito triste, mesmo porque o jantar acabou ali. Meu amigo levantou e saímos da mesa e da casa. O pai dele tentou uma desculpa, mas não colou. Era falso o arrependimento.

Eu fiquei com pena do me irmão italiano, meu irmão até hoje, embora o pai dele ainda me chame de negrinho brasiliano.

O que aconteceu com Boateng é apenas mais um episódio de rancor humano, de pobreza espiritual. Só vai acabar quando o amor ao próximo não depender da cor da pele, mas do olhar fraterno e da entrega da alma.

O povo italiano, como exemplo claro, mas o brasileiro, o alemão, gregos e troianos, árabes e judeus, são racistas. Nós somos racistas porque racismo não é somente chamar Boateng de negro, mas deixar de tratar ou sonegar atendimento médico a doentes em prontos socorros pelo país, não cuidar das crianças abandonadas nos faróis, não respeitar a educação como salvação do homem, não haver comida para todos e por aí vamos nós.

Há que tratar a doença do mundo com amor, fora isso…

Tags : Racismo


Guarani e Palmeiras estão quase iguais.Nas dificuldades
Comentários 56

Luiz Ceará

Zé Teodoro foi um lateral de velocidade, força, garra e técnica. Nunca se via por vencido, jamais dava um lance por perdido. Marcava e atacava. Saia pro jogo.

Hoje fui ver a reapresentação no Novo Guarani. O Guarani que Zé Teodoro vai comandar no Paulistão, na Copa do Brasil e na Série C do Campeonato Brasileiro. Aí está o tamanho do problema. Ter que montar um time para a dificílima Copa do Brasil, para o Paulistão, o mais difícil de todos os estaduais e ao mesmo tempo, ter que ser competitivo pra valer na Série C, fraca tecnicamente, e tentar subir para a B.

O Palmeiras vive momento igual. Vai de Paulistão, Copa do Brasil onde é o atual Campeão, Libertadores de América, uma pauleira sem fim, e… Série B do Brasileirão.

Disputar tudo isso com dois times ou com um somente, forte.¿

Penso e acredito que com um forte e guerreiro com um excelente banco de reservas, com jogadores que podem ser considerados titulares.

O Guarani contratou 7 jogadores, manteve um esqueleto com os melhores do ano passado com Fumagalli,Emerson, Oziel, Bruno Recife e Wellington Monteiro. E está trazendo mais 4 com qualidade. Onze contratações e um total de 30 jogadores para Zé Teodoro montar sua equipe que ele diz, vai ter uma cara de competição, garra, marcação, pegada forte, saída rápida e comprometimento. A cara do chefe.

E o Palmeiras que é muito maior que o Guarani de Campinas?

Está parado, ou quase. Seu treinador, o competentíssimo Gilson Kleina diz não estar se sentindo abandonado, educado que é, mas está. Pela incompetência administrativa e pelo espírito de desunião que paira hoje pelos escuros cantos palestrinos.

Outra coisa, os dois estão sem grana. O Palmeiras quer recorrer a empréstimos para montar seu time a partir da eleição do novo presidente dia 21 deste mês.Vai ser tarde ou inventaram coisa nova na bola e eu não sei.

O Guarani tem ainda salários de funcionários e jogadores em atraso. Não é uma boa imagem para quem precisa de patrocínio e respeito.Vamos ver.