Luiz Ceara

Arquivo : fevereiro 2012

Vamos ver se Luxemburgo aguenta o vento gelado dos pampas.
Comentários 11

Luiz Ceará

Kleber deu o tom do que os jogadores de futebol podem fazer dentro de campo.

Com um time inferior em tudo, do elenco ao treinador, já que Junior é mais experiente que Roger, e de quebra pela fase – a do Grêmio é inferior à do Inter – o Grêmio surpreendeu. Venceu num clássico e a tendência é subir. Roger o auxiliar que vai ficar com Luxemburgo fez um discurso inflamado no vestiário antes do jogo. Foi o detalhe que fez a diferença. Palavra de Kleber, jogador experiente.

Mas não há ilusão com a chegada de Luxa. Para ele, treinar no sul do país é pura novidade, experiência de vida. Lá não se fala o carioquês. Do jogo ele sabe e sabe mais que a maioria. Mas precisa de elenco, mais que a camisa sagrada do Grêmio.

Ninguém desconhece em Porto Alegre que se o time vence o clássico, mas perde em seguida no interior, a batata assa com o torcedor.

E tem a imprensa do Sul. Ela cobra mais. Normal.

Vamos ver se Luxemburgo agüenta o vento gelado dos pampas.

Tags : Luxemburgo


No caso Adriano, Tite está inventando.
Comentários 23

Luiz Ceará

Vejo a notícia de que Adriano vai ter uma empresa, a A10, que tocada pelo seu empresário atual, vai trabalhar com jogadores e sertanejos, além, é claro, dos pagodeiros e funkeiros. Nada de novo.

Vejo que Adriano foi parado por uma blitz do exercito na noite de segunda, depois do treino aqui em São Paulo. Nada de novo em se tratando de quem é e onde estava. No Rio, qualquer um pode ser parado. Em Campinas, aqui no meu bairro é igual. Procedimento normal. Notícia sem impacto.

Adriano não está nem no banco de reservas hoje contra Lusa.

Opa! Aí tem notícia.

Então os caras da comissão técnica do Timão trancam o jogador para aprimorar sua condição física e técnica. Uma semana. Ele parece, deu duro. Silhueta mais fina. Aí vai pro jogo e não joga nada. Mas sai meio que aplaudido.

Normal em se tratando da Fiel, que exige garra, antes de tudo. Bom sinal.

Esperávamos Adriano hoje para dar continuidade à sua “condição, ritmo de jogo”. Ele não vem. A desculpa é de que ele tem que se preparar melhor. Segurar o cara para a Libertadores. Pode jogar sábado, mas não é certeza.

Quem é afinal Adriano? A rainha da Inglaterra?Um ET? Algo especial a ser resguardado e guardado?

A pergunta final é: Tite tem quanta certeza de que na Libertadores ele vai arrebentar?

Desde que eu estou na Bola – e vi Tite jogar no Guarani de Campinas e em outros tantos times, e depois acompanhei sua carreira com carinho porque ele merece – eu sei que jogador tem que jogar, jogar e jogar para ficar em forma e em ritmo de jogo.

Fora isso é invenção.

Tags : adriano


Anotações da quarta-feira de cinzas.Nada de ressaca, é pau puro.
Comentários 4

Luiz Ceará

Nesta quarta-feira de cinzas eu acordei cedíssimo, seis e meia, como sempre. Abracei minha árvore, falei com a natureza, orei pela oportunidade de mais um dia nesta Terra e comecei a ler jornais e assistir noticiários.

Wellington, moleque que me lembra Mineiro em tudo, pela simpatia, pela humildade e pelo grande futebol de guerreiro do meio campo estava chorando na foto do mestre Fernando Santos. Fiquei triste porque sei que ele vai ficar sem a Seleção Olímpica e vai para um o calvário de oito meses longe da grama sagrada de um campo de futebol.
Sorte moleque.

Vi a minha Mangueira passar e neste momento em que escrevo não sei se ela será a Campeã do Carnaval. A paradona da bateria foi de gelar o sangue pela dificuldade. Só a Mangueira.

Mas eu tenho que falar dos bonecos de barro do Mestre Vitalino que a Unidos da Tijuca levou para a Sapucaí. Que medo de tanta capacidade criativa do carnavalesco. Obra de Deus.

Quando leio Tostão na Folha meu dia fica melhor. Quanta sabedoria, delicadeza e generosidade. Ele não precisa da grande notícia nem do furo. Ele escreve sobre a alma da bola.

Hoje o Corinthians joga contra a Lusa. Pelo barulho, normal num grande clássico, o timão tem receio. Não medo, receio.Tem muitos desfalques. Jorginho bate forte no bumbo porque sabe a força que seu time tem. Não é mais a Barcelusa, mas é bocuda.

E Jorginho diz uma verdade do futebol. Boquita e Renato não podem jogar porque são jogadores do Timão. Impedidos por contrato. E Jorginho chia: “Os dirigentes tem medo. Se o jogador não serve para eles, têm de jogar contra. Se meu jogador não serviu aqui e jogar bem, eu é que sou burro”. Eu amo esse cara.

Pra encerrar, Elio Gaspari escreve sobre o contra fogo da durona Dilma ao tratamento de macaco de circo que os brasileiros tem recebido da meganha espanhola há anos, quando chegam aos Aeroportos da Espanha.

Medonho, desumano.

.Agora, a partir de Abril, aqui vai ser igualzinho. Que delícia. E sabem por quê? Porque nosso sangue vermelho é igual ao deles. Sangue igual, mesmo ser humano, tratamentos fraternos. Respeito.

Grande Hélio, que não conheço pessoalmente, mas de quem sou leitor amoroso e atencioso.


A regra é clara. Inadimplente tem que perder pontos para criar vergonha.
Comentários 23

Luiz Ceará

Eu moro em Campinas e trabalho em São Paulo nos últimos trinta e poucos anos. Com alguns intervalos por trabalhos aqui na cidade.

Vivo no meio do esporte e sou da época em que assistíamos treino atrás dos gols, muito perto dos jogadores. E quando acabava o treino, era entrevista livre, cada um com seu assunto e seu jogador. Quem queria falar falava. Quem não queria era respeitado pelos repórteres.

Careca ficou um longo tempo contundido na época em que jogava no São Paulo. Voltou depois de muitos meses e fez, se eu não estou enganado, três gols. No vestiário do Morumbi, debaixo do chuveiro ele não quis dar entrevista. Estava irritado com a imprensa. Disse que se sentia abandonado na hora ruim, em que ele estava contundido.

Lembrei a ele que eu havia sido um dos únicos a entrevistá-lo, mais de uma vez, para a TV Globo, onde eu trabalhava e que não era justo aquela cena.

Alguns dias depois eu disse ao Careca que quando a carreira dele chegasse ao fim, eu ainda estaria lá trabalhando.

Ele entendeu o recado e hoje é, como já era na época, meu amigo pessoal.

Numa madrugada depois de um jogo da Seleção no Paraguai, ele me disse na porta da minha casa em Campinas depois de uma carona de Cumbica até nossa cidade:” Pode dar amanhã cedo que eu não jogo mais na Seleção. Acabou”. Era um furo que a TV Globo deu, menos pela minha capacidade como repórter, mais pela amizade que dura e dura.

Eu digo isso para mostrar aos dirigentes do futebol de hoje, que o jogador tem que ser respeitado como gente e não só pelo que ele faz dentro de campo. A regra que entrou pra valer no Futebol Paulista este ano, de que o clube que estiver inadimplente com o salário dos jogadores vai se dar mal. Vai perder pontos.

Li na Folha de hoje que Roberto Frizzo é contra, argumentando que “caso o atraso de salário aconteça num clube, poderia haver uma conversa com o elenco para conscientizá-los de que uma reclamação junto à FPF agravaria os problemas.”

Quero apenas lembrá-lo que jogador de futebol também tem família com filhos e dependentes. Contas de luz, água e supermercado para pagar. Aluguel, condomínio, telefone e muitas vezes pagamentos de casas ou apartamentos que foram comprados. E carros. São Pessoas comuns que trabalham dez ou até vinte anos, os que mais se cuidam. Depois é o ostracismo para a maioria deles. Sem aposentadoria.

Mas a amizade é para sempre, se houver respeito e responsabilidade por parte dos dirigentes.


Eu explico! Renê Simões e Carlos no São Paulo.
Comentários 6

Luiz Ceará

Com relação ao post anterior, que muita gente não entendeu, eu explico. Quis mostrar a quanto tempo eu ouço o nome de um cara que não gosta de futebol, não se interessa por treino, não “vê” jogo, mas que é quem manda na seleção de futebol mais importante do mundo.

É uma contradição, mas é verdade.

Agora o que não dá é alguns amigos do Blog duvidarem do nosso posicionamento. Não precisa ser contra Ricardo Teixeira ou a favor dele. Aqui se trata de estar ao lado de quem respeita as leis, vive de acordo com elas e não sofre por isso. Aqui se trata de estar ao lado do correto na vida. Sò isso.

Renê Simões e Carlos, no São Paulo.Renê foi contratado pelo presidente JJ para ser o novo Diretor Técnico da base. Cargo que seria normal em qualquer clube, no São Paulo ele terá a função de fazer o que não tem sido feito com todos os recursos colocados à disposição.

Fazer novos Kakas, Casemiros, e Lucas.

E Carlos, que jogou na Ponte Preta no time memorável de 77 e há poucos dias atrás era preparador de goleiros do time, agora era a função de descobrir novos Rogérios Cenis.

Tá fácil pros dois? Não, não está, mas competência eles têm de sobra. Resta saber se os que ficaram vão facilitar o trabalho. É bom sabre disso e deixar muito claro.


RicardoTeixeira é durão, a rapadura é doce e a cadeira tem goma.
Comentários 7

Luiz Ceará

Num determinado dia do Apito Final da Band na época em que Luciano do Valle apresentava o programa, eu ouvi a notícia e não entendi no primeiro momento.

Luciano fala do então genro Havelange estava lançando como nome para a presidência da CBF. Um cara novo, moderno. Ele apareceu sorrindo na reportagem.

Lembro-me de Luciano informar que ele não entendia de futebol, mas representava o novo. Foi assim que Ricardo Teixeira entrou na minha vida de jornalista esportivo.

E me lembro de outras coisas. Da forma como ele pressionou a Bandeirantes na demissão de Juarez Soares.De como ele olhava para nós repórteres.

De quando ele me levou pessoalmente para ver o equipamento que ele trouxera dos EUA para sua casa de Chope no Jóquei do Rio de Janeiro.

E me lembro ainda de tudo o que ele fez com sua vida à frente da CBF, devidamente denunciado e documentado pelos jornalistas.

Ricardo Teixeira se jogou no vão livre da miséria humana sem medo de nada.

Sem dar um único chute na redondinha e sem entender nadica de bola, foi o 18º presidente da CBF, e durante sua gestão as seleções nacionais de todos os níveis conquistaram 11 títulos mundiais e 27 sul-americanos.

O cara é durão, a rapadura é doce e a cadeira tem goma. Ele só sai se estiver “cagando para a CBF”, expressão que saiu da boca dele, não da minha.

RT é interminável,


Adriano joga amanhã contra o São Caetano.
Comentários 9

Luiz Ceará

Adriano treinou, não o tempo todo. Visivelmente mais magro, como queria o treinador.

E como ele deveria estar a muito tempo. Cuidar da forma física, para ele, é o mesmo que eu correr atrás de informação o dia todo. É profissão.

Como eu disse, depois do treino ele conversou reservadamente com Tite. Recebeu os parabéns pelos trinta anos. Foi aconselhado a se manter em forma e recebeu a notícia que vai pro jogo e como titular. Para jogar até 50, sessenta minutos.

Uma grande notícia para ele e para o torcedor que teve paciência até agora.

Que tudo corra bem, e que ele volte a jogar.

Em tempo quero dizer que Adriano é, em forma, um dos melhores do mundo na posição e pode estar na Copa. Como titular.

Não depende de minha vontade, nem da do treinador e muito menos dos torcedores.

No caso de Adriano, a palavra final será dele.

Tags : adriano


Adriano joga tudo no treino pra ir pro jogo.
Comentários 1

Luiz Ceará

Adriano está neste momento jogado sua cartada final no Corinthians.

Desde que chegou jogou quase nada, fez um gol importante e mais ficou no estaleiro, também por conta de uma lesão, do que jogou.

Até agora não fez outra coisa mais importante para sua vida do que buscar 380 mil reais no início dos meses em que está no Timão.

O torcedor corintiano não fez pressão suficiente para abalar o “promessa”, como é conhecido.

Está treinando neste momento para saber se vai ou não pro jogo.

Pra mim o treinador está jogando pra galera. Ele vai, é carta marcada. Depois de colocar o jogador de castigo, meteu o cara a na lista da Libertadores.

Ele vai pro jogo. Vamos ver.

Tags : adriano


Como a Fiel gosta.
Comentários 60

Luiz Ceará

No primeiro tempo de Deportivo Táchira e Corinthians aconteceram dois tempos. O do Timão melhor, o momento do gol dos venezuelanos e depois o Deportivo melhor.

No segundo tempo o Corinthians martelou, mas não foi feliz. Melhor falar assim.

Faltou criatividade, tinha melhores jogadores. E teve o gol do Deportivo acertadamente anulado.

Empate seria mais justo E foi o que aconteceu quando o ovo já estava frito. Alex acerta cruzamento e Ralf empatou de cabeça. Ao contrário da maioria eu acreditava numa vitória e até certo ponto… tranquila.

O Deportivo é um time de segunda linha da Libertadores. Não pode meter medo no Corinthians.

Valeu pela estréia, suada, como a Fiel gosta.

Tags : Corinthians


O Santos perdeu. E o timão?
Comentários 2

Luiz Ceará

Só quero dar um toque pra quem não está vendo o jogo.

O Corinthians jogou como estava combinado. Estava melhor no jogo e tomou um gol. O jogo virou outro e o timão foi um time quase amedrontado.

Jogadores saíram falando que no segundo tempo a coisa vai mudar. Dá?

Dá. O time homem a home é melhor. Faltaram jogadas mais incisivas, chutes a gol e principalmente uma finalização no lance em que o gol era barbada.

Vamos ver, porque o Santos perdeu muito gols e saiu com uma derrota.